O portal Psicologia em Debate é elaborado e mantido por Siegfried Jorge Wehr, Doutor em Psicologia, e aborda temas relativos a relações afetivas, carreira, trabalho e stress. Sieg, como gosta de ser chamado, é psicólogo há mais de 20 anos. Leia mais...

 

              
Home Artigos 5. AUTO-ATUALIZAÇÃO E A NECESSIDADE DE PRIVACIDADE Qua, 14 de Novembro de 2018
5. AUTO-ATUALIZAÇÃO E A NECESSIDADE DE PRIVACIDADE PDF Imprimir E-mail



A quinta característica, apontada por Maslow, de pessoas auto-atualizadoras é a qualidade de desprendimento e necessidade privacidade. São pessoas que conseguem e necessitam permanecer certo tempo em solidão. Não são pessoas solitárias ou incapazes de relacionamento. Antes pelo contrário são pessoas que se relacionam muito bem. No entanto apresentam uma facilidade e mesmo uma necessidade de isolamento.

Essa qualidade os ajuda a enfrentar sem grandes tumultos os problemas da vida e ficarem menos perturbados do que pessoas medianas. Sua capacidade de assimilação e compreensão possibilita maior força na resolução de dificuldades que doutro modo poderiam abalar qualquer pessoa. Esta qualidade poderia ser também denominada de resiliência. São pessoas que se recuperam mais facilmente diante de grandes problemas.

O isolamento é um momento para retomar si mesmo, contatar o próprio íntimo, estabilizar-se em sua natureza. Muitas tradições culturais fornecem técnicas de relaxamento e meditação como um recurso para aprofundamento espiritual. Nas pessoas auto-atualizadoras esta é quase uma tendência natural, é quase uma nostalgia do ser que confere tranquilidade, paz e abertura para a novidade.

Nossa cultura parece ter certa resistência em acolher a solidão, talvez porque a maioria das pessoas sofre de solidão. Para algumas pessoas estar só é simplesmente uma tortura. Não conseguem estar consigo mesmas, precisam a qualquer custo estar acompanhadas. Em determinadas etapas da vida esta dificuldade é compreensivel, mas em adultos pode ser também uma patologia. 

Estas pessoas parecem que, acompanhadas parecem ser muito fortes e, às vezes, muito poderosas e os outros parecem ser menos que elas. Ao serem confrontadas com a solidão a situação muda, aquele poder desaparece. Em muitas situações a pessoa que faz companhia acaba por se transformar em um depositário de segurança/ esperança e uma forma de desviar atenção de si mesmo. Como se o outro fosse a condição de conter os próprios instintos, impulsos e desejos. 

Algumas pessoas que conheci apresentavam convicção de que não eram boa companhia para si mesmos, não conseguiam suportar a própria presença. A sua presença aparenta a confirmação da desgraça e da impotência na vida. Só quando acompanhadas adquirem força para realizar. A dificuldade de lidar com a solidão pode ser um indício de maior necessidade de autoconhecimento.

O autoconhecimento é fundamental para qualquer desenvolvimento consistente como pessoa. Na solidão descobrimos que podemos nos tratar com respeito, com dignidade e resolver-nos como pessoas no mundo. Esta atividade é sempre melhor fazê-la com o acompanhamento de um bom terapeuta que nos ajude nas situações um pouco mais complicadas. 

De certo modo, os momentos de maior importância na nossa existência são vivenciados sempre em primeira pessoa. Em alguns casos podemos encontrar enorme dificuldade em compartilhar a vivência com outras pessoas. A rigor tudo é vivênciado em primeira pessoa em nossa vida. Se o nosso centro de segurança está completamente em nós mesmos tudo tende a ir mais tranquilo. Se parte deste centro está projetado as coisas se complicam.

O mercado já se deu conta desta dificuldade e a explora com tremendo sucesso através da indústria cultural. Para muitas pessoas, em especial nas grande cidades, a televisão é o grande amigo, sua grande companhia enquanto suas horas de solidão escoam. Nada contra a indústria cultural, presta um serviço razoável para muita gente. No fim das contas continuamos vazios do mesmo jeito.

Temos necessidade de pão que alimenta, que nos leve a ser cada vez mais nós  mesmos, alimento este que afasta nossa ansiedade diante da vida e seus desafios, diante da nossa própria finitude. Assim podemos nos tornar cada vez mais verdadeiros e desenvolvermos uma vida cada vez mais consistente fundados naquilo que somos. 

A solidão pela solidão de nada adianta. Muito menos se trata de fazer a sua apologia. A vida se dá no Encontro de um Eu com um Tu. A solidão implementada como recurso de autoconhecimento, aceitação, consolidação, um tratado de paz consigo, com os outros e com a vida é absolutamente válida!

O encontro com o tu, com o outro é verdadeiro na mesma medida em que sou verdadeiro. É íntimo na medida que sou íntimo a mim. A solidão não é finalidade, mas passagem, ocasião de crescimento para quem quer crescer! Na solidão, no fundo de mim mesmo, encontro a força mais amiga, posso encontrar o próprio ser que fundamenta minha existência e as relações com os outros.



 

Add comment


Security code
Refresh

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.

Secured by Siteground Web Hosting